Car Magazine Car Magazine

Esbanjando tecnologia

Potência e recursos tecnológicos para proporcionar ótimo desempenho e dirigibilidade, além de muito conforto e luxo

Car

Primeiro Audi 100% elétrico chega ao Brasil em uma versão SUV de grande porte e alto desempenho, e faz parte da estratégia da marca de ser uma empresa totalmente neutra em emissões de carbono até 2.050. O e-tron será vendido em somente 14 concessionários que estão localizados em Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande, Curitiba, Londrina, Florianópolis, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Vitória, e quatro em São Paulo.

De acordo com a fabricante, sua autonomia é de 436 quilômetros no ciclo europeu WLTP (Worldwide Harmonized Light Vehicles Test Procedure), e ele está disponível em duas versões de acabamento. Seu preço público sugerido será de R$499.990,00 na versão Performance e de R$539.990,00 na Performance Black. Durante o período de lançamento haverá condições especiais: as versões serão negociadas, respectivamente, por R$459.990 e R$499.990.

O e-tron é o primeiro veículo totalmente elétrico da marca produzido em série e comercializado com sucesso em diversos mercados. Ele vem montado sobre a plataforma MEB, e está equipado com dois motores elétricos que combinados geram a potência total de 408 cv e 67,7 kgfm de torque. O motor dianteiro desenvolve 181 cv de potência e 31,5 kgfm de torque, e o traseiro, 221,2 cv de potência e 36,2 kgfm de torque. Sua aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 5,7 segundos, e sua velocidade máxima é limitada eletronicamente a 200 km/h.

Traseira com inclinação mais acentuada. Nova tendência para os SUVs

O e-tron incorpora uma nova geração da tração integral quattro que regula a distribuição ideal dos torques entre os dois eixos. Na maior parte do tempo o SUV usa prioritariamente o motor elétrico traseiro. Quando o motorista exige mais energia, a tração elétrica nas quatro rodas redistribui o torque conforme a necessidade para o eixo dianteiro.

Ele também conta com o drive select, que ajusta as características de condução do veículo em sete diferentes modos: Auto, Comfort, Efficiency, Offroad, Dynamic, Allroad e Individual. No modo Dynamic, a tração privilegia a esportividade ao dar maior preferência de torque para o eixo traseiro, enquanto nos outros modos a distribuição é mais equilibrada entre ambos os eixos.

O sistema de baterias de íons de lítio pesa cerca de 700 kg e é composto por 36 módulos de alumínio, e podem ser carregadas de diversas formas. Uma delas é por meio de redes externas. Basta plugar o veículo em uma tomada, desde uma simples 110V até as de alta tensão, para iniciar a recarga, cujo tempo varia de acordo com a potência elétrica disponível. Em estações de recarga ultra rápida de 150 kW, por exemplo, é possível carregar até 80% da bateria em 30 minutos.

Os retrovisores foram substituídos por câmeras

Na maioria dos casos, os consumidores optam por carregar o veículo em casa durante a noite. Nesse caso, o e-tron pode ser carregado com a potência máxima disponível considerando outros equipamentos elétricos no domicílio para evitar sobrecarga do sistema residencial. Os clientes também podem definir suas próprias prioridades, como programar o horário de carregamento de acordo com o horário que oferece valor reduzido da energia.

Além da recarga em redes externas, o SUV pode recuperar a energia de outras duas maneiras: simplesmente ao tirar o pé do acelerador ou quando o pedal de freio é acionado.
Um fato novo é que o motorista pode selecionar o grau de recuperação de energia em três níveis utilizando as aletas localizadas atrás do volante, que lembram os tradicionais shift-paddles.

No nível 0, o Audi e-tron não recupera energia quando o motorista solta o pedal do acelerador. No nível 1, de desaceleração mínima, e no nível 2, de alta desaceleração, os motores elétricos geram torque de freio regenerativo, fazendo com que o veículo reduza a velocidade sensivelmente enquanto produz eletricidade — o motorista pode desacelerar e acelerar usando apenas o pedal do acelerador, criando a sensação de pedal único. Em baixas velocidades, praticamente não há necessidade de usar o pedal do freio.

Telas internas reproduzem as imagens das câmeras

Um dos destaques do e-tron são os retrovisores externos virtuais. Quando equipado com esta tecnologia inovadora ele alcança um coeficiente de arrasto de 0,27, melhor resultado no segmento de SUV, o que contribui para melhorar sua autonomia. Esse equipamento, além de reduzir o arrasto, conta com uma câmera, onde as imagens são processadas e exibidas nos monitores internos laterais de sete polegadas cujo brilho se ajusta automaticamente.

Outras soluções aerodinâmicas também foram adotadas, como a suspensão a ar, que se ajustam individualmente às condições da estrada. Dependendo da velocidade e preferência do motorista, a altura da suspensão varia até 76 milímetros. Especialmente em viagens mais longas, uma altura de condução mais baixa melhora a aerodinâmica e contribui para a autonomia.

Por causa da pandemia ainda não andamos no carro, mas os dados de desempenho fornecidos pela fabricante deixam transparecer uma grande esportividade. Além da grande potência, ele tem distribuição de peso é perfeitamente equilibrada em 50:50 nos eixos. E, comparado a um SUV convencional, o e-tron oferece rigidez torcional 45% maior, parâmetro que colabora para uma boa dirigibilidade. As suspensões também são ajustadas de acordo com o modo de direção selecionado no select drive.

O modelo tem 4.901 milímetros de comprimento, 2.043 milímetros de largura e 1.629 milímetros de altura. Com entre eixos de 2.928 milímetros, o Audi e-tron tem amplo espaço para cinco ocupantes e bagagens. Como o veículo elétrico não possui o eixo cardã, na parte traseira não há mais o túnel central, o que oferece um ganho de espaço incrível para o passageiro no assento central do banco de trás. A capacidade de bagagem é de 600 litros, com o banco traseiro rebatido, o volume aumenta para 1.725 litros.

Car Magazine Car Magazine