Car Magazine Car Magazine

F1: Pirelli leva pneus mais macios para as demandas de Spa

Para o Grande Prêmio da Bélgica, o composto C2 da Pirelli foi selecionado como o P Zero branco duro, o C3 como o P Zero amarelo médio e o C4 como o P Zero vermelho macio.

RaceCar

Confira o que diz a Pirelli sobre a escolha dos pneus para o GP da Bélgica, que acontece neste fim de semana em Spa-Francorchamps.

POR QUE ESCOLHEMOS OS PNEUS

  • Para o Grande Prêmio da Bélgica, o composto C2 da Pirelli foi selecionado como o P Zero branco duro, o C3 como o P Zero amarelo médio e o C4 como o P Zero vermelho macio. Esta combinação é um nível mais macia do que a nomeação em Spa no ano passado.
  • Essa escolha foi feita porque a maior parte dos pilotos escolheu os pneus médios e macios no ano passado. Na verdade, muitos selecionaram uma alocação completa de dez jogos de pneus macios em 2019 e apenas um de duro, embora isso não seja possível este ano, pois todas as alocações são padrão: dois conjuntos de duros, três de médios e oito de macios.

CARACTERÍSTICAS DA PISTA

 

  • O clima na Bélgica nesta época do ano é extremamente variável. Embora as altas temperaturas tenham sido vistas ocasionalmente em Spa no passado, nas Ardenas é improvável que tenhamos o mesmo tipo de clima que a Espanha. O Grande Prêmio da Bélgica de 2019 aconteceu com temperatura de pista consistentemente abaixo de 30 graus centígrados e a chuva é sempre uma possibilidade. É até possível que chova em uma parte da pista, mas não em outra. Se chover, a drenagem é um problema comum, com pequenos rios se formando em toda a pista que podem causar aquaplanagem. Esta é outra razão pela qual os pneus no meio da gama foram selecionados.
  • Essa variação também ocorre porque a volta de 7.004 metros de extensão, a mais longa da Fórmula 1, é tão extensa e mista, com curvas épicas, como a Eau Rouge, impondo fortes forças combinadas nos pneus tanto vertical quanto lateral. Como resultado, Spa é um dos circuitos mais desafiadores para pneus durante todo o ano. O asfalto também é bastante agressivo.
  • Não são apenas as curvas que proporcionam um grande desafio, com quase 800 metros de comprimento, a reta Kemmel esfria os pneus, afetando a aderência nas curvas seguintes.
  • Apesar das exigências imponentes de Spa, a corrida do ano passado foi em grande parte de uma parada, com os três primeiros usando uma estratégia de macio para médio, com uma nomeação que foi um nível mais duro. Três dos pilotos entre os dez melhores pararam duas vezes, enquanto Daniel Ricciardo, da Renault, fez praticamente toda a corrida no médio após uma parada muito cedo.

 

MARIO ISOLA – GERENTE MUNDIAL DE MOTORSPORT DA PIRELLI

 

“A reputação de Spa fala por si só. É uma pista à moda antiga com muita elevação e outras variáveis, que os pilotos adoram por causa dos desafios e sensações que ela proporciona. A seleção de pneus deste ano é um nível mais macio do que a do ano passado, embora esperemos que os carros sejam consideravelmente mais rápidos, como tem sido o caso durante a maior parte da temporada. Spa é uma das poucas rodadas deste ano que não teve uma mudança de data em relação ao esperado, então as equipes devem ter muitos dados relevantes, embora este seja provavelmente o circuito onde é mais difícil prever as condições. Assim, as equipes e pilotos que são mais capazes de se adaptar rapidamente às circunstâncias em constante mudança tendem a ser os mais recompensados. Uma diferença este ano é que as 24 horas de Spa não foram realizadas como de costume há algumas semanas. Será interessante ver se isso tem algum efeito, embora qualquer borracha que esteja previamente colocada na pista é muitas vezes lavada pela chuva em qualquer caso. Finalmente, mas o mais importante, tenho certeza de que Anthoine Hubert estará na mente de todos neste fim de semana e todos gostaríamos de homenageá-lo, um ano depois de sua morte”.

Car Magazine Car Magazine