Car Magazine Car Magazine

Finalmente ficou pronto

O Bugatti Divo, mais recente criação da marca de superesportivos, está começando a ser entregue aos seus compradores. A presentado há dois anos, teve todas as suas 40 unidades comercializadas na pré-venda

Car

Desde sua apresentação mundial em agosto de 2018, o Bugatti Divo tem estado entre os carros superesportivos mais extraordinários do mundo. Mas somente agora os primeiros, de um total de apenas 40 unidades produzidas, estão começando a ser entregues aos clientes. Custando a bagatela de € 5 milhões — R$ 31,6 milhões ao câmbio do dia — cada, todos os carros já foram vendidos.

A conclusão da produção marca o fim de um processo de desenvolvimento que durou quase dois anos, já que esse é o primeiro modelo Bugatti a ser criado digitalmente. O carro recebeu a denominação Divo em homenagem a Albert Divo, piloto francês que correu pela Bugatti na década de 1920 e, entre outras conquistas, venceu duas vezes a mítica Targa Florio.

O motor permanece o mesmo do Chiron: um W16 com 1.500 cv de potência

O carro se inspira no Type 57SC Atlantic e tem o desempenho como foco principal. Ele traz sistema de escape redesenhado, asa traseira fixa de 1,8 metro de largura (23% maior que a asa retrátil do Chiron) para maior downforce, um duto no teto que canaliza o ar para a parte traseira do carro, um grande spoiler dianteiro, saias laterais mais refinadas, entradas de ar maiores na frente, ventilação no capô para melhor resfriamento do radiador e aberturas nas caixas de rodas dianteiras para o arrefecimento dos freios.

O interior do Divo é semelhante ao do Chiron, mas é mais luxuoso, tem estofamento em Alcântara e acabamento de fibra de carbono para reduzir peso. As suspensões ganharam molas e amortecedores mais rígidos e novas rodas com raiadas. O isolamento acústico foi melhorado.

O motor permanece o mesmo do Chiron. Trata-se de uma unidade W16 de oito litros, com potência de 1.500 cv a 6.700 rpm e torque de 163 kgfm entre 2.000 a 6.000 rpm. A Transmissão é a automatizada de dupla embreagem com sete marchas. Sua aceleração de 0-100 km/h é feita em 2,4 segundos — 0,1 s mais rápido que o irmão —, mas o Divo tem uma aceleração lateral maior (1,6 g vs 1,5 g no Chiron).

Aerodinâmica refinada e asa traseira 23% maior que a do Chiron

Na pista de Nardò, na Itália, que é um círculo com 12,6 quilômetros de extensão, o Divo é oito segundos mais rápido que o Chiron a cada volta. A Bugatti também afirma que ele gera 456 quilos de downforce em velocidade máxima, ou seja, 90 quilos a mais que o Chiron.
A velocidade máxima, no entanto, ficou reduzida a 380 km/h, contra 420 km/h do irmão, principalmente devido ao arrasto extra produzido pelos elementos aerodinâmicos. Consequentemente, o esportivo tornou-se ainda mais ágil.

Os faróis de LED sobressaem de uma abertura de luz que medem apenas 35 milímetros e chamam a atenção. Igualmente impressionante são as complexas luzes traseiras em 3D. Elas fazem parte de uma grade que foi produzida com impressão 3D e abrigam um total de 44 lâminas que se acendem e formam a luz traseira.

Car Magazine Car Magazine