Car Magazine Car Magazine

Fórmula 1 tem novo chefão: Stefano Domenicali, velho conhecido da categoria

Ex-chefe de equipe da Ferrari e de Felipe Massa nos anos 2000 assumirá posto de Casey Carey, que deixará o esporte no fim do ano.

RaceCar

A Fórmula 1 anunciou nesta semana o nome de Stefano Domenicali como o novo presidente e CEO da organização que controla o campeonato. Atualmente na Lamborghini, Domenicali assumirá o posto do bigodudo Chase Carey, que se afastará do trabalho no início de 2021.

A transferência do ex-chefe de equipe da Ferrari na segunda metade dos anos 2000, responsável pelo último título da marca em 2007 com Kimi Raikkonen, foi bastante cuidadosa pelas duas partes. Primeiro, a Lamborghini anunciou que ele sairia do cargo de CEO para assumir um cargo novo e bastante prestigiado em 2021. Em seguida, a Liberty Media, dona da F1, divulgou a contratação do italiano.

“Apesar de estar fora da F1, me mantive conectado ao esporte pelo meu trabalho na Comissão de Monopostos da FIA e estou animado em me integrar junto às equipes, promotores, patrocinadores e os diversos parceiros que a F1 tem enquanto continuamos tocando o negócio”, comentou Domenicali.

Já Carey, que havia dito não ter interesse em ficar muito tempo na F1, afirmou que sua missão foi cumprida com a renovação do Pacto de Concórdia e a criação de uma sólida base para Domenicali trabalhar nos próximos anos.

“Foi uma honra liderar a F1, que é um esporte global com uma história incrível nos últimos 70 anos. Estou muito orgulhoso da minha equipe que, não apenas navegou em um ano extremamente desafiador como o de 2020, como retornou com mais propósito e determinação em áreas como sustentabilidade, diversidade e inclusão. Estou certo que criamos uma boa fundação para o negócio crescer a longo prazo”, destaca Carey.

A escolha por Domenicali vem parecendo ser um ótimo negócio. Mesmo tendo uma história bem próxima da Ferrari, as outras equipes comemoraram bastante a chegada do dirigente de 55 anos de idade. “Ele tem muita integridade, foi piloto, competidor e entende do negócio. Se ele chegar mesmo será ótimo para o esporte”, analisou Christian Horner, da Red Bull, longo rival do ex-ferrarista.

“Eu dou muita moral para ele e não por causa de sua experiência em todos esses trabalhos diferentes que ele fez na Ferrari, mas também como pessoa, caráter e apaixonado por automobilismo. Ele já gerenciou um autódromo (Mugello), passou por vários cargos na Ferrari até ser chefe de equipe e agora como CEO da Lamborghini”, disse Andreas Seidl, da McLaren.

“O fato de Domenicali ter passado pela Lamborghini nos últimos anos pode ter dado a ele uma perspectiva diferente e interessante neste momento que temos marcas como Alpine e Aston Martin entrando na F1. Ele tem muito a oferecer e espero que o Chase também permaneça por perto, pois é outra pessoa que agrega demais”, completou Cyril Abiteboul, da Renault.

Os brasileiros tem uma memória agridoce de Domenicali: foi com ele que Felipe Massa teve sua melhor fase na F1 (sendo vice-campeão) e também passou pelo episódio da ordem de equipe no GP da Alemanha de 2010, quando Massa teve de ceder a vitória para Fernando Alonso.

Car Magazine Car Magazine