Car Magazine Car Magazine

GP da Hungria: os mesmos pneus da Áustria em um circuito muito diferente

Confira o material completo distribuído pela Pirelli sobre os pneus que serão usados na terceira etapa do ano, que acontece no fim de semana em Hungaroring.

RaceCar

POR QUE A PIRELLI ESCOLHEU ESSES PNEUS PARA O GP DA HUNGRIA

  • A temporada da Fórmula 1 de 2020 com início atrasado continua em Hungaroring com a terceira corrida seguida: algo incomum na F-1, visto uma vez em 2018. As seleções de pneus são as mesmas das duas corridas anteriores na Áustria: C2 como o P Zero branco duro, C3 como o P Zero amarelo médio e C4 como o P Zero vermelho macio.
  • Essa não é a única coisa que permanece a mesma: este ano, todos os pilotos terão as mesmas alocações: dois conjuntos de pneus duros, três conjuntos de médios e oito conjuntos de macios.
  • Os compostos C2, C3 e C4 também foram escolhidos na Hungria no ano passado, pois são adequados para as famosas características apertadas e tortuosas da pista, bem como para as altas temperaturas esperadas para este fim de semana.

CARACTERÍSTICAS DA PISTA

  • Assim como o Red Bull Ring, o Hungaroring é uma volta curta de quatro quilômetros com várias mudanças na elevação. No entanto, é muito mais lento e fluido, colocando a ênfase na aderência mecânica em vez de aerodinâmica.
  • Com o desgaste dos pneus normalmente muito baixo, esta tem sido muitas vezes uma corrida de uma parada. No entanto, o vencedor do ano passado, Lewis Hamilton, fez uma segunda parada no final da corrida, com cinco estratégias diferentes de pneus vistas entre os cinco primeiros. Gerenciar a degradação foi a chave para a corrida.
  • Uma das razões para a imprevisibilidade do ano passado foram as condições mistas nos treinos livres, mas normalmente a Hungria é uma das corridas mais quentes do ano. A falta de fluxo de ar devido à natureza da pista torna particularmente difícil para pilotos e carros.
  • Os pneus também enfrentam um desafio em Hungaroring, devido à sequência sem parar de 14 curvas, principalmente lentas, com apenas uma pequena reta na largada. Isso significa que os pneus estão funcionando constantemente: alguns pilotos até comparam com seu tempo no kart.

MARIO ISOLA – GERENTE MUNDIAL DE MOTORSPORT DA PIRELLI

“Pela primeira vez, o Hungaroring é a terceira corrida do ano. Com as mesmas indicações e alocações de pneus das duas primeiras corridas, em um local bem estabelecido no calendário da F-1, os pilotos devem ter uma boa ideia do que esperar. A corrida do ano passado quebrou um recorde de voltas que se manteve desde 2004, por isso será interessante ver se os tempos vão baixar ainda mais com os carros de 2020, que, claro, ainda usam nossos pneus de 2019. O Hungaroring é uma pista muito exigente tanto para carros quanto para pilotos, onde gerenciar o superaquecimento é sempre essencial, e por isso lançou algumas surpresas no passado. Vai ser interessante ver se o início da temporada tem algum efeito na ordem competitiva neste fim de semana, com algumas equipes trazendo novos desenvolvimentos também”.

OS PNEUS ESCOLHIDOS PARA ESTA TEMPORADA

 

Car Magazine Car Magazine