Car Magazine Car Magazine

Mais um recém-chegado ao mundo elétrico

Tal como um smartphone, o Renault Megane E-Tech Electric se integra no ecossistema digital de seu usuário. Seu sistema multimídia OpenR Link, desenvolvido em conjunto com o Google, é baseado no sistema operacional Android Automotive e o perfil de cada usuário pode ser associado à conta pessoal do Google

Car

A Renault marca um novo começo com a decisão estratégica de fabricar o Megane E-Tech Electric na planta de Douai França, no coração do ElectriCity, o novo polo industrial elétrico de referência na Europa. Com uma ambição de 400.000 veículos por ano, em breve este será o centro de produção de veículos elétricos mais importante e competitivo da Europa.

Com um entre-eixos alongado (2,70 m, para um comprimento total de 4,21 m) e o balanço reduzido oferecidos pela nova plataforma modular CMF-EV, o Megane E- Tech Electric exibe proporções inéditas. Os designers puderam criar um hatch dinâmico com dimensões mais contidas. A bateria tem uma espessura de apenas 110 mm, o que permitiu diminuir as proporções externas e reduzir o centro de gravidade. Sua altura é de apenas 1,50 m.

A impressão de robustez transmitida pelas grandes rodas de 20 polegadas, proteções na parte inferior carroceria e nas caixas de roda, cintura da carroceria alta. Já a linha descendente do teto, as bitolas alargadas e as maçanetas das portas “fluidas” e integradas de série remetem ao mundo dos cupês.

O Megane E-Tech Electric estará disponível em seis cores e será possível optar pela pintura em dois tons, diferenciando a cor do teto e colunas. Conforme a versão de acabamento, as capas dos retrovisores externos, com as cores prata Schiste, preto Étoile e branco Glacier, permitirão mais de 30 combinações possíveis.

Os designers puderam criar um hatch dinâmico com dimensões mais contidas

Com 100% LED, a iluminação dianteira e traseira do E- Tech Electric é esculpida e moderna. Na frente, as luzes de rodagem diurna se estendem até as saídas laterais do para-choque. Na traseira, vários filamentos micro-ópticos recortados a laser formam duas faixas, criando um efeito 3D difuso. Todas as versões do Novo Megane E-TECH Electric recebem de série maçanetas de porta embutidas.

A OpenR, a maior tela do mercado, é a peça principal da cabine do carro. Vista pela primeira vez nos carros-conceito TreZor (2016), SYMBIOZ (2017) e MORPHOZ (2019), a nova tela unificada OpenR combina, em formato de L invertido, o mostrador digital do painel de instrumentos e a tela multimídia do console central. O display OpenR oferece uma superfície de visualização total inédita: 321 cm² para a tela de 12,3 polegadas do painel de instrumentos e 453 cm² para a tela multimídia de 12 polegadas. Ou seja, um total de 774 cm² para um espaço digital embarcado único na categoria. Na primeira versão de acabamento, a tela multimídia mede 9 polegadas.

Complementando os dois sistemas de som Arkamys das versões de entrada e intermediária, a versão topo de linha (opcional na versão intermediária) do Megane integra um novo sistema de som premium com a assinatura Harman Kardon. Com uma potência total de 410 W, ele conta com nada menos que nove canais: 2 tweeters nas laterais do painel, dois woofers nos painéis das portas dianteiras, dois tweeters e dois woofers nos painéis das portas traseiras e um subwoofer localizado no porta-malas.

Ele oferece quatro níveis de frenagem regenerativa

Na plataforma CMF-EV, foi realizado um trabalho específico para que os veículos produzidos pudessem associar a potência da motorização elétrica a um chassi dinâmico, sem comprometer o conforto. Uma nova direção assistida elétrica foi incluída no projeto, com isso, o condutor tem respostas rápidas aos comandos ao volante. Este diferencial é complementado pela presença de um eixo traseiro multibraços (Parallel Link), que assegura melhor aderência, segurança e precisão nas manobras. A bateria mais fina (110 mm) permitiu reduzir o centro de gravidade do veículo (-90 mm em comparação com um Megane equipado com motor térmico).

O sistema Multi-Sense de nova geração, tem três modos pré-programados de condução (Eco, Confort e Sport). Um quarto modo (MySense) permite personalizar totalmente as regulagens. O condutor pode alterar de um modo para o outro a qualquer momento, inclusive por comando de voz.

O motor do Megane é totalmente novo. Graças ao design otimizado, ele é compacto, pesando apenas 145 quilos (incluindo a transmissão), uma redução de 10% no peso em comparação com a motorização utilizada atualmente no ZOE, apesar de um aumento pronunciado na potência e no torque. O carro será oferecido com duas opções de motorização: 96 kW (130 cv) com 25,5 kgfm de torque e 160 kW (218 cv) com torque de 30,6 kgfm. Ele acelera de 0 a 100 km/h em apenas 7,4 segundos.

O carro será oferecido com duas opções de motorização: 130 cv e 218 cv

Para otimizar a autonomia independentemente do modo de condução, o carro vem equipado com um sistema de frenagem regenerativa otimizada. Ele oferece quatro níveis de frenagem regenerativa, que são selecionadas por meio de paletas localizadas atrás do volante: do nível 0 (sem frenagem recuperativa) ao nível 3 (recuperação máxima e freio do motor otimizado, para uma condução bastante intuitiva na cidade).

O E-Tech Electric oferece duas capacidades de bateria: 40 kWh para uma autonomia de 300 km (segundo a norma WLTP) e 60 kWh para uma autonomia de até 470 km (segundo a norma WLTP, conforme a versão). Ele é compatível com todas as infraestruturas de recarga em corrente alternada (AC): desde uma tomada doméstica (10A/2,3 kW monofásico) até os terminais públicos, que permitem recuperar até 160 km em 1 hora (32A/22 kW trifásico). Conforme a versão, ele também pode ser compatível com as infraestruturas de recarga em corrente contínua (DC) de até 130 kW (sistema de recarga combinado), assim como tomadas de recarga rápida em estradas, podendo recuperar até 300 km em 30 minutos, de acordo com o ciclo WLTP.

No Megane, o Assistente Highway & Traffic Jam Companion – já conhecido na gama Renault – ficou ainda melhor. Agora ele é contextual, ampliando seu campo de aplicação para além das vias rápidas, permitindo ao condutor lidar melhor com os obstáculos encontrados pelo caminho. Este dispositivo de delegação da condução de nível 2 passa a se chamar Active Driver Assist.

 

Car Magazine Car Magazine