Car Magazine Car Magazine

O dia em que o Greenpeace trollou a F1

O ano era 2013. A corrida, o GP da Bélgica. A patrocinadora principal se envolvia em uma polêmica com as ONGs por buscar petróleo no Ártico, e o Greenpeace realizou uma das ações mais impressionantes já vista em eventos desta magnitude.

RaceCar

A Fórmula 1 tentou ao máximo abafar este protesto após ele ter acontecido, mas não conseguiu evitar o Greenpeace de causar o maior caos da história da categoria neste sentido.

O ano era 2013. A corrida, o GP da Bélgica de Fórmula 1, em Spa-Francorchamps. A patrocinadora principal era a Shell, que se envolvia em uma polêmica com as ONGs por buscar petróleo no Ártico, e o Greenpeace realizou uma das ações mais impressionantes já vista em eventos desta magnitude.

Dias antes da realização da prova, os ativistas do Greenpeace instalaram faixas que seriam acionadas via rádio no dia da prova. Antes da corrida, dois paragliders voaram pelo circuito com banners atacando a Shell, enquanto uma outra turma tentava cobrir um banner da Shell na Raidillon, esta sem sucesso. Já na arquibancada principal, com sucesso, conseguiram direcionar uma faixa enorme para os camarotes VIP.

“Estragamos o principal dia de RP da Shell no ano.”

Porém o que impressionou – e poderá ser visto no vídeo abaixo, é a incrível forma que os ativistas conseguiram burlar toda a segurança da F1 – inclusive fazendo rapel no prédio dos boxes para reclamar – existem inclusive fotos onde membros da segurança tentam cortar as cordas do rapel com uma faca. O caos todo funcionou no pódio, quando as faixas foram acionadas com sucesso na cerimônia dos troféus.

Tudo devidamente ocultado na transmissão oficial.

Confira abaixo

A partir de então, a F1 ficou ainda mais burocrática. Mesmo assim, ainda não consegue evitar certas invasões, como a que aconteceu no GP de Cingapura.

Veja o relato de um espectador:

Primeiro, vi um grupo de paragliders motorizados passarem, perseguidos por um helicóptero. Enquanto caminhava para a tribuna, vi um grupo dentro da tribuna, com um banner. Ecclestone também tentou se livrar deles. A corrida aconteceu como se nada tivesse acontecido, mas alguns ativistas tentaram suberter o pódio descendo de rapel, com três faixas acionadas eletronicamente na base do pódio. Foi certamente uma coisa muito estranha de presenciar.

Certamente, caro espectador, dificilmente você verá algo desse tipo novamente.

Car Magazine Car Magazine