Car Magazine Car Magazine

O dia em que Ukyo Katayama quase morreu (e não foi em uma pista)

Logo após abandonar a F1, o simpático piloto japonês se envolveu em um sério acidente durante uma escalada no Japão, perdendo dois amigos.

RaceCar

Quem tem mais de 25 anos conhece bem o Ukyo Katayama. Quem era moleque como eu na época se divertia horrores ao chamá-lo de Catagrama. E quando ele deixou todo mundo de cara andando muito bem em 1994 com aquela combinação linda de carro-capacete da Tyrrell?

Pois bem, quando ele saiu da F1, em 1998, alternou suas atividades na pista competindo ou fazendo eventos profissionais com a escalada. Em 2009 ele disputou o Dakar, mas ele jamais imaginaria que esta não seria sua experiência de vida naquele ano.

Tendo escalado anteriormente picos no Himalaia e no Kilimanjaro, Katayama decidiu fazer um “passeio caseiro” e decidiu escalar a região de Motemba o Monte Fuji – aquele tradicional dos cenários japoneses, com o topo branquinho, e que fica perto da pista de mesmo nome. É o maior do Japão, com 12.389 pés.

Essa era para ser uma experiência, acreditem. A ideia de Katayama e seus dois comparsas Eiichi Usami e Toshio Horikawa, dois funcionários seus, era ir à Antartica semanas depois e o Monte Fuji seria um teste- como se ele não tivesse mais nada de interessante para fazer na vida. Porém, acontece que o Monte Fuji era liberado para escalar apenas no verão japonês, pois no inverno as temperaturas negativas ultrapassam o limite do aceitável.

E Katayama decidiu escalar ela no inverno japonês, no fim de 2009. O resultado não poderia ter sido outro: deu merda.

No meio da escalada, em uma quarta-feira do fim de novembro, quando estavam acampados e dormindo nas barracas, uma rajada violenta de vento causou o caos, principalmente para seus colegas. Por ter preparação de atleta, Katayama não teve problemas para suportar a situação extrema, mas Usami e Horikawa não estavam nada bem.

Os dois congelavam com temperaturas abaixo de -27ºC.

Com 46 anos, Katayama conseguiu sacar um celular nas primeiras horas do dia e pedir ajuda para a Polícia, pois seus amigos não estavam mais suportando. Nesse interim, um não resistiu e o outro estava com as pernas já congeladas. Foi quando o ex-piloto decidiu procurar ajuda. Katayama foi encontrado caminhando por uma trilha de 7 mil pés (cerca de 2.200 metros acima do nível do mar) pelo resgate.

“Estou OK. Os outros dois parecem que perderam a vida. Sinto muito pelo problema que causei e torço pela segurança deles.”

Veja o triste momento em que Katayama descreve o que aconteceu. É em japonês, você não vai entender nada, mas as imagens dizem tudo:

Enquanto as buscas por Usami e Horikawa seguiam sem muito sucesso, Katayama confessou que seu outro colega também havia morrido, por isso ele decidiu descer na raça.

Depois desse episódio, parece que Ukyo decidiu se manter em terra firme, mesmo. Disputou provas de turismo com ex-colegas de F1 na Ásia com a Supercar, trabalha como piloto profissional na Europa e não ouvimos mais falar de nenhuma escalada.

Se bem que deixar ele aqui embaixo também é um perigo como podemos ver abaixo.

Brincadeiras à parte, Katayama, mesmo com tudo isso o que passou, manteve sua integridade e o sorriso nos anos seguintes. O jornalista Beto Pandini o encontrou durante uma etapa da Porsche Cup brasileira em Portugal e assim que encontrar essa história eu posto o link para vocês. A foto eu encontrei e está aí abaixo.

Car Magazine Car Magazine