Car Magazine Car Magazine

O “incentivo” que faltava

Com desenho atualizado e um conjunto motriz mais condizente com o que se espera de um carro do seu porte, o momento pode significar um reinício para o Captur

Car

A linha 2022 chega com o design externo renovado, grandes mudanças no interior e o motor turbo TCe (Turbo Control Effiency) 1.3 flex, o mesmo que equipa os Mercedes-Benz Classe A sedã que rodam no Brasil e que foi desenvolvido com o know-how da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi em parceria com a Daimler. Ele gera potência de 170 cv e torque de 27,5 kgfm (o maior do segmento) e recebeu a nova transmissão automática CVT Xtronic.

As principais mudanças estéticas foram procedias na sua arte dianteira, com para-choque mais envolvente e nova luz de circulação diurna DRL em LED, que emoldura os faróis de neblina também em LED com a função auxiliar em curvas. Os faróis passam a ser full LED na versão topo de linha, com até 75% de melhoria na eficiência da iluminação. A grade superior está mais larga e ganhou detalhe cromado. O modelo também ganhou novo ski dianteiro com entrada de ar. As rodas de 17 polegadas também são novas.

A traseira traz LEDS na identidade visual das lanternas e ponteira do escapamento cromada

O interior da versão topo de linha agora conta com a opção bíton com a combinação da cor marrom Castanyera. O acabamento interno mistura detalhes em black piano com cromados ao redor do sistema multimídia e das saídas de ar. A nova central multimídia com tela de oito polegadas tem espelhamento de smartphones Apple CarPlay e Android Auto, e sistema Multiview, com quatro câmeras.

A direção é elétrica e o novo volante tem ajustes de altura e profundidade com comandos iluminados do “piloto automático” (regulador e limitador de velocidade) e do comando de voz. A versão topo de linha Iconic traz como opcional o sistema de som premium Bose, com seis alto-falantes de alta fidelidade, subwoofer no porta-malas e amplificador digital, promovendo uma experiência sonora de qualidade superior.

O Captur também traz a partida do motor à distância com a nova chave “hands free”, que permite climatizar o interior antes de se entrar no veículo, além de sensor de ponto cego nos retrovisores. Ele será comercializado em três versões de acabamento: Zen (R$ 124.490), Intense (R$ 129.490) e Iconic (R$ 138.490).

O Captur tem sistema Multiview, com quatro câmeras: uma dianteira, duas laterais e uma traseira

Motor e câmbio
O novo motor turbo TCe 1.3 flex foi desenvolvido tendo como características um alto torque em baixas rotações e baixo consumo de combustível. Entre as tecnologias que ele incorporou estão a injeção direta central com 250 bar de pressão. O turbo trabalha com a pressão máxima de 1.4 bar e o cabeçote é em formato delta, o que permite tamanho mais compacto reduzindo massa, centro de gravidade mais baixo e melhor controle térmico do motor. O coletor de escape vai integrado ao cabeçote.

O duplo comando de válvulas no cabeçote tem temporização variável das válvulas de admissão e escape, comandada eletronicamente permitindo variação contínua dos ângulos de abertura e fechamento das válvulas. Além disso, o comando tem balancins roletados, que proporcionam redução de atrito e, consequentemente, menos consumo de combustível. Os componentes móveis do cabeçote, como anéis e pinos dos pistões receberam tratamento superficial DLC (Diamond-Light Carbon) para reduzir atrito e consumo de combustível.

O bloco de alumínio tem tratamento superficial na parede dos cilindros, chamado de Bore Spray Coating (BCS), o que permite troca térmica mais eficiente entre a câmara de combustão e a camisa d’água, reduzindo atrito com os anéis e pistões, além de um melhor controle da pré-detonação. A fabricante afirma que só esta medida já permite reduzir o consumo e as emissões em aproximadamente 1%.

O motor gera potência de 170 cv e torque de 27,5 kgfm (o maior do segmento) e a transmissão é CVT Xtronic

O câmbio é o automático CVT Xtronic, que tem a possibilidade de trocas manuais na alavanca, e simula oito marchas. Entre suas novidades estão: faixa de atuação do lock-up ampliada, reduzindo a sensação de deslizamento nas arrancadas, bomba de óleo de dimensões reduzidas e cárter com menor volume. Com menos peso, o consumo de combustível é menor. Outra tecnologia aplicada para a redução do consumo de combustível é o sistema Start&Stop, que promete uma economia de até 5% de combustível no trânsito urbano. Para auxiliar o condutor na economia de combustível e no monitoramento de suas viagens, a central multimídia Easy Link mantém as funções Eco Scoring e Eco Monitoring.

Esse conjunto mecânico resultou na classificação A no do programa brasileiro de etiquetagem do Inmetro. Com gasolina, o consumo na estrada é de 12 km/l e na cidade de 11,1 km/l. Com etanol, o consumo é de 8,3 km/l no percurso rodoviário e 7,5 km/l no urbano.

Mais conectado
A nova central multimídia EasyLink tem tela capacitiva de 8’’ com interface simples, com layout personalizável, e espelhamento para celular por meio do Android Auto e Apple CarPlay. Os ocupantes também podem realizar conexão via Bluetooth e visualizar informações como temperatura externa e horário direto na tela.

O sistema possui uma grande gama de opções de personalização para adaptar a tela ao gosto de cada usuário. O EasyLink permite o cadastro de até cinco perfis, que podem personalizar funções sem interferir nos outros perfis cadastrados. Pelo sistema é possível: escolher um nome e uma foto de capa, definir um layout personalizado da tela, salvar suas preferências de configuração de som e rádio, salvar até nove estações de rádio na memória

A nova central multimídia EasyLink tem tela de 8’’ e possibilidade de parear até seis celulares simultaneamente

Car Magazine Car Magazine