Car Magazine Car Magazine

Verstappen traz luz ao campeonato 2020 da Fórmula 1 com vitória tática no GP de 70 anos

Piloto holandês e a Red Bull identificam uma fraqueza no carro da Mercedes com os pneus e usam isso à seu favor com sucesso.

RaceCar

Para quem achava, após as quatro primeiras provas do ano, que a temporada 2020 da Fórmula 1 está sacramentada para a Mercedes e que Lewis Hamilton, caso não tivesse problemas, venceria todas as provas restantes, foi surpreendido positivamente neste domingo com Max Verstappen triunfando no histórico e especial GP de aniversário de 70 anos da categoria, disputado novamente em Silverstone, palco da última corrida e da primeira prova da história, em 13 de maio de 1950.

Tirando proveito da eficiência aerodinâmica do carro da Red Bull, que retarda o aquecimento de pneus em relação à Mercedes (que, inclusive, faz muito bom uso disso nas tomadas de tempo), Max Verstappen usou uma tática diferente em relação aos dois Mercedes, largando com o composto mais duro, que o fez apresentar um desempenho melhor, assumindo a liderança, aproveitando as voltas seguintes para ganhar tempo e parar mais tarde.

A estratégia se mostrou certeira no momento do segundo pit stop: Verstappen antecipou a parada e voltou imediatamente atrás do virtual líder Valtteri Bottas, já que Lewis Hamilton estava prestes a parar novamente, reassumindo a frente em uma belíssima manobra na curva Brooklands. Bottas ainda levou outra ultrapassagem, desta vez de Hamilton, e caiu da pole para a terceira posição.

No fim, Verstappen recebeu a bandeira quadriculada com 11 segundos de vantagem para o atual hexacampeão e mostrou para a F1 que a Red Bull ainda é a competente equipe que deu quatro títulos a Sebastian Vettel e segue capaz de derrotar a Mercedes andando no mesmo nível – mesmo nem sempre tendo a mesma velocidade.

Charles Leclerc novamente foi o responsável por salvar a honra da Ferrari ao chegar em quarto e travar uma boa briga com Hamilton na segunda metade da corrida, com Alex Albon, na segunda Red Bull em quinto, à frente das duas Racing Point, de Lance Stroll e Nico Hulkenberg, respectivamente, e da Renault de Esteban Ocon.

Com o nono lugar, Lando Norris pontuou pela quarta vez em cinco corridas com a McLaren, enquanto Daniil Kvyat levou a melhor na disputa interna pelo décimo lugar com Pierre Gasly. Já Sebastian Vettel acabou tendo de fazer uma corrida de recuperação após rodar na largada e chegou em 12º, seguido de Carlos Sainz, da McLaren, Daniel Ricciardo, da Renault, e Kimi Raikkonen, da Alfa Romeo.

A prova comemorativa dos 70 anos da F1 teve apenas um único abandono, de Kevin Magnussen, da Haas. Após a quinta corrida do ano, a temporada 2020 tem Hamilton liderando com 107 pontos, 30 à frente de Verstappen, o novo líder, enquanto Bottas caiu para terceiro com 73. Leclerc vem em quarto, mas 28 pontos atrás de Bottas.

Entre as equipes, a Mercedes está disparada na frente com 180, contra 113 da Red Bull e apenas 55 da Ferrari, que está apenas com dois a mais que a McLaren. A F1 volta a correr no próximo fim de semana com o GP da Espanha, em Barcelona.

O QUE ELES DISSERAM

Max Verstappen, P1: “Não esperava isto, mas após o primeiro stint acabamos sendo bons cpm os pneus. Não teve problemas com os compostos, mas nunca se sabe como correu com a Mercedes. A estratégia correu perfeitamente e, na verdade, tudo correu bem aqui. Não tivemos oportunidade de lutar com eles até agora, por isso queria mesmo manter essa pressão sobre eles para que pudéssemos continuar o ataque. Em Barcelona não sei como tudo vai correr, mas vamos usar a banda macia também lá.”

Lewis Hamilton, P2: “Foi um enorme desafio. Se olharmos para os pneus deles [Verstappen e Red Bull], eles não tinham os problemas que nós tínhamos. Foi inesperado que tivéssemos tantas bolhas nos pneus. Nunca tivemos isto antes, a equipe vai sem dúvida analisar. Vamos olhar para isso, não sei se houve outros que sofreram tanto como nós.”

Valtteri Bottas, P3: “A vitória teria sido possível hoje. A velocidade estava lá, mas tudo correu mal. Quando Max Verstappen me passou, eu não sabia de nada. Se tivessem me avisado algumas voltas antes, poderia pelo menos ter acelerado. O último trecho foi muito longo. Teria querido esperar tanto tempo como Lewis”. No final da corrida, eu simplesmente não percebi o que tinha acontecido. Precisamos falar sobre isto porque é simplesmente decepcionante. Além disso, o Max foi muito bem hoje, porque não tinha bolhas no pneu. Tivemos esses problemas e a equipe terá que trabalhar para a próxima semana, quando as equipes se prepararem para o GP da Espanha. Tivemos muitos problemas com esses pneus, temos que aprender com isso. Tivemos muitos pontos e agora só temos que seguir em frente.”

Charles Leclerc, P4: “Estou muito feliz hoje”, disse Leclerc à Sky F1. “Quer dizer, para mim parece uma vitória, e é claro que não parece bom considerar um P4 como uma vitória, mas no momento é onde estamos. E no ano passado penso que o meu ponto mais fraco foi a gestão dos pneus e então trabalhei muito nisso, portanto ver aquele trabalho ser recompensado é uma grande satisfação. E conseguir um P4 hoje, quando esperávamos um P8 na melhor das hipóteses esta manhã, me deixou extremamente feliz. Ficamos muito felizes e para ser sincero, precisamos analisar para entender porque fomos tão rápidos, porque eu realmente não entendi até agora! Sinceramente, não entendo de onde conseguimos tirar esse desempenho, porque mesmo no final da corrida com o duro, estava indo muito bem. Até a certa altura até pensei em atacar o Bottas, algo não imaginei acontecer este ano. Tentei resistir a Hamilton porque é certo escolher quando fazê-lo. Mas tive que dar espaço para ele, porque estava ocupado fazendo minha corrida.”

Alex Albon, P5: “Hoje foi realmente embaraçoso. Nas primeiras 20 voltas estive num comboio de DRS e depois não se pode fazer nada. Tive muita dificuldade com isso porque não se consegue passar por ninguém. Uma vez que tínhamos espaço, podia-se realmente ver que tínhamos muita velocidade. O carro era realmente fantástico, mas eu não conseguia fazer nada no trânsito. No final, consegui ultrapassar um pouco, mas podia ter conseguido mais do que a P5. Pena que não pudéssemos atacar mais cedo.”

Lance Stroll, P6: “Eram muitas estratégias diferentes durante a corrida. Leclerc conseguiu fazer apenas uma parada e ficou na nossa frente, a Red Bull tinha um ótimo ritmo e Albon conseguiu me ultrapassar. Frustrado por perder posições para eles, mas vamos olhar no que poderíamos ter feito diferente. Algumas sequências de voltas foram maiores que outras, foi bem complicado. Era acertar no alvo ou errar por completo.”

Nico Hulkenberg, P7: “Fomos forçados a parar nos boxes para pneus novos. Tivemos um par de bolhas nos compostos e as vibrações saíram de controle rapidamente. Em algumas voltas os pneus ficaram destruídos e não acho que durariam até o fim. A primeira parte da corrida estava sobre controle e conseguimos segurar melhor na segunda parte, mas os pneus duros estavam diferentes e não renderam bem”, acrescentou.

Esteban Ocon, P8: “Foi um ótimo domingo para nós. Largamos bem, cuidamos bem dos pneus, traçamos uma boa estratégia e o pitstop foi eficiente. Foi uma corrida dura pelos pneus, ainda mais com a estratégia agressiva que a gente teve, mas, mesmo assim, deu certo e tivemos bastante ritmo. A chave foi manter os pneus vivos e segurar o pessoal atrás, então, feliz pelo resultado. Não acho que tinha muita coisa melhor largando de 14º. Agora a meta é classificar melhor para brigar por mais pontos.”

Lando Norris, P9: “Foi uma corrida difícil. Ganhei uma posição em relação a ontem, acho que é o ponto principal, mas foi complicado. Sofremos com os pneus, foi um problema esperado, mas foi ainda pior, o que dificultou as coisas. Todos os carros na nossa frente eram mais rápidos, como vimos na classificação. Acho que muita gente teve o mesmo problema que nós.”

Daniil Kvyat, P10: “Estou bem satisfeito hoje, sinto que foi uma grande corrida. O time fez um grande trabalho, fomos capazes de tirar o máximo do carro. Tivemos todas as oportunidades no caminho e, diferente da semana passada, conseguimos captalizar os pontos. Largar em 16º e finalizar em décimo, marcando um ponto, nos deixa feliz hoje.”

Sebastian Vettel, P12: “Não tenho ideia do que aconteceu. Estava apenas tentando não me meter em problemas, mas isso (rodada no início) me meteu em grandes problemas. Pensei que alguém tinha me batido, mas não o fez. Mas a partir desse momento tornou-se uma corrida muito difícil. Penso que podíamos ter feito melhor. Tratamos dos pneus melhor do que na semana passada, mas entramos no trânsito quando tínhamos acabado de concordar que não queríamos isso. Estou fazendo tudo o que posso e normalmente isso é suficiente, mas agora não me parece assim.”

RESULTADO FINAL

1 Max Verstappen (Red Bull/Honda) 1h19min41s993
2 Lewis Hamilton (Mercedes) a 11s326
3 Valtteri Bottas (Mercedes) a 19s231
4 Charles Leclerc (Ferrari) a 29s289
5 Alexander Albon (Red Bull/Honda) a 39s146
6 Lance Stroll (Racing Point/Mercedes) a 42s538
7 Nico Hülkenberg (Racing Point/Mercedes) a 55s951
8 Esteban Ocon (Renault) a 1min04s883
9 Lando Norris (McLaren/Renault) a 1min05s044
10 Daniil Kvyat (AlphaTauri/Honda) a 1min09s669
11 Pierre Gasly (AlphaTauri/Honda) a 1min10s642
12 Sebastian Vettel (Ferrari) a 1min13s370
13 Carlos Sainz Jr. (McLaren/Renault) a 1min14s070
14 Daniel Ricciardo (Renault) a 1 volta
15 Kimi Räikkönen (Alfa Romeo/Ferrari) a 1 volta
16 Romain Grosjean (Haas/Ferrari) a 1 volta
17 A.Giovinazzi (Alfa Romeo/Ferrari) a 1 volta
18 George Russell (Williams/Mercedes) a 1 volta
19 Nicholas Latifi (Williams/Mercedes) a 1 volta

Não completou
Kevin Magnussen (Haas/Ferrari) a 9 voltas

Melhor volta: 1min28s451, Lewis Hamilton, na volta 43

ESTATÍSTICAS

• Margem de vitória: 11.326s
• Na volta do vencedor: 13
• Líderes: 3 (Verstappen – 29 voltas, Bottas – 13, Hamilton – 10)
• Total percorrido na corrida: 1025 voltas (98.6%), 6036 km
• Total percorrido no fim de semana: 2889 voltas, 17016 km
• Top speed: 348.9 km/h (Albon)
• Pit stops: 41

CAMPEONATO DE PILOTOS

1 Lewis Hamilton 107
2 Max Verstappen 77
3 Valtteri Bottas 73
4 Charles Leclerc 45
5 Lando Norris 38
6 Alexander Albon 36
7 Lance Stroll 28
8 Sergio Pérez 22
9 Daniel Ricciardo 20
10 Esteban Ocon 16
11 Carlos Sainz Jr. 15
12 Pierre Gasly 12
13 Sebastian Vettel 10
14 Nico Hülkenberg 6
15 Antonio Giovinazzi 2
16 Daniil Kvyat 2
17 Kevin Magnussen 1
18 Kimi Räikkönen 0
19 Nicholas Latifi 0
20 George Russell 0
21 Romain Grosjean 0

CAMPEONATO DE CONSTRUTORES

1 Mercedes 180 pontos
2 Red Bull/Honda 113
3 Ferrari 55
4 McLaren/Renault 53
5 Racing Point/Mercedes 41
6 Renault 36
7 AlphaTauri/Honda 14
8 Alfa Romeo/Ferrari 2
9 Haas/Ferrari 1
10 Williams/Mercedes 0

Car Magazine Car Magazine